quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Eu conheci o Assis


No fim de semana passado pude reviver uma experiência que a muito não experimentava: uma viagem ao interior. O município: Crateús, distante aproximadamente 400 km de Fortaleza. O distrito: Assis, distante 36 km de Crateús. O motivo: conhecer as "origens" da família de minha esposa, natural daquela região, no Sertão dos Inhamuns.

Uma viagem maravilhosa! Fomos recebidos como costumeiramente são recebidos os visitantes da cidade, com todo o capricho, com toda a atenção, com todo o carinho. Do quarto reservado para nós, na casa do Gai e da dona Regilda até as refeições e as caronas maravilhosas do Cimar e da dona "Carma". Caroneiros eu e Eugênia fomos aos montes. Silvinha, Simone e Renan que o digam (rs).

E as caronas nos levaram a lugares incríveis, como a casa das "titias" e o próprio Assis. No Assis, pude conhecer a casa da família das Eugenias (Eugênia bisavó, Eugênia vó e Eugênia neta). Vejam que já estou com a terceira geração das mulheres mais fortes que Deus já criou: as que vêm do Sertão. A receptividade de todos por lá também foi das melhores, a começar pelos demais tios e parentes da Eugênia. Como a família Melo domina a região fica até difícil citar nomes. Todos os nomes e todas as pessoas levam ao casarão da família, daquelas casas com paredes largas e altas e donas de um ar fresco difícil de acreditar que exista em tal temperatura sertaneja.

Obrigado a minha sogra, Eleni, pela atenção e pelo orgulho com que me apresentou a família. A viagem foi um convite ao retorno.

2 comentários:

noemi disse...

Poxa! Que inveja cunhado! To morrendo de saudades destes lugarés. São verdadeiros polos turístico. E a foto com a caso do Vôvo....

Eleni disse...

Amigos,
este lugarzinho é mágico: simples, aconchegante, belo... Que pena que o interior teima em se urbanizar (neste já tem até duplex). O Assis da minha infância era realmente um lugarzinho do interior. Em frente a esta casa branca brinquei muito de ciranda cirandinha, três três passará e outras brincadeiras do gênero. Faz tempo mas continua bem presente na saudade.
Eleni