domingo, 9 de setembro de 2007

O Cara

"Minha filha, deixe eu lhe peguntar uma coisa, é esse o cara?" Eu tenho um tio que eu amo de paixão (sim, tem tios que eu amo menos porque afinal nunca vi na vida). Pois bem, tem esse tio que eu amo, que me viu há muito tempo, tipo, quando eu tinha uns 14 anos. A família do meu pai se espalhou pelo mundo então ele mora nos Estados Unidos. Ele se divorciou recentemente.
Imagina essa pessoa recebendo a notícia que a Eugeninha vai casar. Compreensivelmente, ficou preocupado. Nos últimos meses, falei com ele umas três vezes sobre isso.
Ontem, ele soltou a pergunta que inicia esse texto. Eu brinquei: "Há uma semana do casamento, é bom que seja, né tio?" Mas meu coração doeu. Não pela pergunta, claro. Mas enquanto eu contava como era o Paulo, que idade tinha, quando a gente tinha se conhecido eu ficava pensando que pena era o tio não conhecer o Paulo. Que pena ele não me ver aqui feliz, porque aí ele não ia mais ficar preocupado. Ele ia ficar feliz comigo.
Aí minha prima Luane, da Bahia, me mandou um presente lindo que está entrando na minha casa hoje. A última vez que nos vimos, éramos duas adolescentes. Agora ela já tem uma filha linda. A minha tia, que eu também amo de paixão, veio representando toooda a ruma de Cabral. Minha vó Tude também vem! E o Samuel, primo de São Paulo que tira fotos com o Rogério Ceni, estará aqui.
Meu tio nos desejou todo o amor do mundo e, lá pelas estradas de Minessota, eu sei que ele vai estar pensando em mim sexta-feira. Eu vou pensar nele também e em todos os dessa família enorme que eu não termino de conhecer nunca e está solta pelo Brasil. E sim, tio, ele é o cara.

2 comentários:

Vanessa Campos disse...

Engraçado isso, gata, porque comigo é recorrente. Boa parte da minha família não conhece Marcelo e alguns tomam um susto ao me descobrirem casada. É estranho, para eles eu ainda sou a Van, a menina que passava por eles na carreira com as bochechas vermelhas indo brincar no meio da rua. O melhor mesmo é saber que a felicidade existe e quando nos encontram é o melhor cartão de visitas daquele que escolhemos para estar ao nosso lado pelo resto da vida :)

Eleni disse...

Vanessa,
Se para os tios é difícil admití-las adultas, imagine o que se passa na cabeça dos pais, especialmente da mãe... É uma loucura! Querida, você conhece algum excelentíssimo analista?
Beijos.