quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Burocracia, sempre ela

Fomos tirar nosso cartão de residência hoje no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras daqui (SEF) que cuida de nós, imigrantes. Os estrangeiros com visto precisam deste cartão para fazer tudo por aqui. Se não tirar tem uma multa, ou coima como eles dizem, de mais de 40 euros por dia. Agendado por telefone há quase um mês, nosso horário era meio-dia. Graças a nossos pais que surtaram em Fortaleza pra nos enviar os documentos devidamente reconhecidos pelo Consulado brasileiro no tempo necessário, estávamos preparados. Chegamos às 11:50. Pois bem.

Primeiro você recebe uma senha A para conferirem seus documentos. Às 13:15 fomos atendidos. Tudo certo? Tudo certo, pois agora peguem aquela fila e troquem essa senha A por uma D. Ah, tá. Neste momento descobrimos que tem um valorzinho de 30 euros a pagar por pessoa. Coisa que não estava no site e que ninguém nos avisou nas DUAS vezes que ligamos para confirmar quais eram os passos para tirar o cartão. Eu fiquei lá e o Paulo saiu em busca de um caixa que aceitasse o Visa Travel em tempo recorde.

Às 14 horas, fomos chamados. Conferem os documentos de novo. Tiram nossa foto, recolhem impressão digital das duas mãos, assinamos pro computador registrar. Tudo certo? Tudo, pois agora peguem a fila e troquem a senha D por uma G. ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... Às 16:40 nos chamam, conferem os documentos (não vou comentar), digitalizam os tais documentos. Assinamos outra vez. Tudo certo? Tudo, pois agora troquem a senha G por uma K. Desta vez, foram só 2 minutos para nos chamar. Pagamos e como diria o ratinho que toma banho no Castelo Ra-Tim-Bum: agora acabou.

Saímos às 17:30. Sim, cinco horas e meia para resolver isso.

Importantíssimo: os funcionários do SEF foram educadíssimos. Eles nos tratam bem e distribuem vários sorrisos. E olha que o horário deles termina às 16 e eles não recebem hora extra desde abril. Foram avisados hoje que essas horas irão para um banco de horas, tem gente lá com mais de 800 horas. E estavam todos lá, até quase 18 horas nos atendendo com prontidão. Ninguém merece, nem eles nem nós.

2 comentários:

Marco disse...

E vocês já voltaram pro Brasil?!?! hehehehe

Eleni disse...

Fico tão feliz pela parte que me cabe... Beijos.